Abelhas, vespas e marimbondos

Gostaria de receber um orçamento gratuito? Ligue para (11) 3876-8500 ou clique no fale conosco

Certificada em sistema de gestão da qualidade conforme a norma NBR ISO 9001:2015

Quadro técnico formado por experientes engenheiros agrônomos e biólogos

Soluções saudáveis e sustentáveis para o controle de pragas no âmbito nacional

Abelhas, vespas e marimbondos são similares mas não iguais, conheça as diferenças destas pragas.

A informação mais preocupante sobre abelhas, vespas e marimbondos são que as 3 pragas urbanas picam de maneira dolorosa. Ninguém merece ficar perto de um destes insetos e ser picado por eles de surpresa. Eles são bem similares, mas possuem várias diferenças que ajudam a identificá-los na hora de algum problema.

O maior dano causado pelas abelhas, vespas e marimbondos nos seres humanos é relacionado à saúde. Uma picada pode gerar problemas sérios para pessoas sensíveis como alergias, coceiras e inchaços, além de outros sintomas graves como dificuldade de respirar, tontura, desmaio e até o mais grave de todos: choque anafilático.

Por esse motivo é importante realizar o controle de abelhas, vespas e marimbondos quando perceber uma grande concentração deles próximos ao seu ambiente.

Todos eles formam colméias, casas ou ninhos perigosos. Como retirá-los com segurança? Nem tente se aventurar! Procure ajuda especializada urgente.

Você sabia que até perfume e cheiro fortes podem irritar estes insetos alados?

É essencial não deixar as abelhas, vespas e marimbondos agitados demais. Para o controle destes insetos é necessário conhecer os hábitos e a biologia deles antes de realizar qualquer atividade. A Uniprag pode ajudá-lo a acabar com este problema.

Biologia das abelhas, vespas e marimbondos

As espécies de abelhas, vespas e marimbondos mais comuns no Brasil

Abelha europeia

Abelha-europeia (Apis mellifera)
Abelha-europeia (Apis mellifera)

Possui este nome pois tem origem europeia. Foi trazida para o Brasil em 1839 para abastecer apiários na produção de cera e mel. Dispõe de outros nomes como abelha-comum, abelha-de-mel e abelha-preta.

Tamanho: 12 a 13 mm

Cor: castanha clara e escura

Reino: Animalia

Ordem: Hymenoptera

Classe: Insecta

Espécie: Apis mellifera

Família: Apidae

Filo: Arthropoda

DIETA: O alimento das abelhas é o pólen e o néctar coletados diretamente das flores. Uma boa florada anual é essencial para a sobrevivência das colônias. A nutrição influencia na reprodução e na longevidade dos insetos.

HABITAT: O habitat das abelhas desta espécie é bastante diverso e pode incluir florestas tropicais, deserto, litorais e montanhas.

IMPACTO: As abelhas podem causar problemas de saúde para pessoas alérgicas a picadas. Pode causar até a morte em casos extremos.

PREVENÇÃO: Mantenha lixeiras sempre vedadas. Não deixe restos de bebidas doces, café com leite, açúcar e outros alimentos doces. Apesar do controle as abelhas podem aparecer de surpresa.

Se encontrar uma colméia, não mexa nela. Chame a Uniprag para ajudá-lo. Não existem inseticidas domésticos capazes de realizar o controle. O extermínio indiscriminado é crime ambiental.

Perto de uma colméia é importante não deixar as abelhas irritadas com os seguintes elementos: roupas de cores fortes, perfumes fortes, barulhos e movimentos intensos.

Vespa paulistinha

Paulistinha (Polybia paulista)
Paulistinha (Polybia paulista)

Vespa encontrada principalmente na região sudeste do Brasil. Essa espécie de vespa ganhou destaque internacional quando cientistas descobriram em seu veneno a substância MP1, que possui alto poder de danificar células do câncer.

Tamanho: Cerca de 1,5 cm

Cor: preta

Reino: Animalia

Ordem: Hymenoptera

Classe: Insecta

Espécie: Polybia paulista

Família: Vespidae

Filo: Arthropoda

DIETA: A vespa paulistinha captura lagartas e leva para o ninho para alimentar suas larvas. Podem se alimentar também de insetos e animais mortos.

HABITAT: A vespa constrói ninhos fechados geralmente em solos. Essas fortalezas são feitas de fibras de troncos e galhos de madeira morta.

IMPACTO: As vespas podem causar problemas de saúde para pessoas alérgicas a picadas. Pode causar até morte em casos extremos. Podem propagar danos causados por outras pragas e enfermidades.

PREVENÇÃO: Inspecione se existem ninhos. Eles começam a se formar no início da primavera. Nesse estágio eles estão pequenos e com poucas vespas. Os locais de preferência das vespas são garagens, sótãos, cavidades nas paredes, entre outros. Mantenha o lixo vedado pois contém componentes alimentares que atraem as vespas. Instale telas de proteção em janelas e portas.

Marimbondo cavalo

Marimbondo cavalo (Pepsis fabricius)
Marimbondo cavalo (Pepsis fabricius)

Esta espécie de marimbondo captura aranhas que servem de alimento para suas larvas. Elas utilizam os órgãos não vitais do aracnídeo para se desenvolverem. O marimbondo não é agressivo e ataca somente para se defender.

Tamanho: 10 a 15 mm

Cor: marrom escura

Reino: Animalia

Ordem: Hymenoptera

Classe: Insecta

Espécie: Pepsis fabricius

Família: Pompilidae

Filo: Arthropoda

DIETA: Os marimbondos se alimentam de insetos vivos e mortos. Eles paralisam a vítima sem matar para alimentar suas larvas. Nutrem-se também de néctar e pólen.

HABITAT: Estão localizados tanto em ambientes de clima subtropical quanto tropical. Podem criar seus ninhos tanto em desertos quanto em matas.

IMPACTO: Podem causar problemas de saúde em pessoas alérgicas. Causam morte em casos extremos. Não são animais agressivos, apenas se defendem quando são atacados.

PREVENÇÃO: Inspecione se existem ninhos. Eles começam a se formar no início da primavera. Nesse estágio eles estão pequenos e com poucos marimbondos. Os locais de preferência são garagens, sótãos, cavidades nas paredes, entre outros. Mantenha o lixo vedado pois contém componentes alimentares que atraem os marimbondos. Instale telas de proteção em janelas e portas.

Cilclo de vida das abelhas, marimbondos e vespas

Os insetos passam por 4 fases diferentes: ovo, larva, pupa e adulto. Após 3 dias da fecundação, a rainha deposita o ovo no alvéolo das flores. Depois de 3 dias, a larva é libertada. Nessa fase, ela passa por 5 estágios de crescimento. Após 6 dias a larva se transforma em pupa e depois se liberta do casulo adulta.

Cada nível de hierarquia possui um tempo de desenvolvimento. A rainha demora entre 4 a 6 dias, a operária de 1 a 3 dias e zangões de 1 a 3 semanas.

Curiosidades sobre abelhas, marimbondos e vespas

Leia mais sobre Abelhas, vespas e marimbondos

Desculpe, nenhum post foi encontrado.

Fale conosco

Nosso atendimento é em todo o estado de São Paulo, com equipes técnicas especializadas distribuídas por todo o interior, litoral e capital.

Central de vendas

Ou envie uma mensagem


    A UNIPRAG está presente em todo Brasil

    Conversar
    Precisa de ajuda?