Valinhos confirma segunda morte causada por febre maculosa este ano

A Secretaria de Saúde de Valinhos (SP) confirmou nesta quarta-feira (8) a segunda morte por febre maculosa, a doença do carrapato, este ano na cidade.
A vítima é um homem de 54 anos, que morreu quando estava internado na Santa Casa da Misericórdia do município no dia 19 de junho.

A doença foi atestada por exames feitos no Instituto Adolfo Lutz, após o óbito, e o resultado foi divulgado esta semana. De acordo com a Prefeitura, a principal suspeita da causa da morte era a febre maculosa, já que carrapatos foram encontrados no corpo do paciente.

No entanto, parentes de Luiz Franco de Oliveira acreditavam na hipótese de dengue hemorrágica. Eles disseram ao G1 nesta quarta-feira que ainda não foram informados da confirmação da doença.
Segundo a família, Oliveira buscou atendimento em uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) com dor de cabeça, inchaço, manchas roxas e dores por todo o corpo. Ele foi medicado e liberado para voltar para casa. O quadro dele piorou dias depois e, ao voltar na UPA, foi encaminhado pelo médico para a Santa Casa.

A vítima chegou a ficar na UTI do hospital, mas somente por algumas horas. O quadro já era grave e os médicos não conseguiram reverter, segundo a família. Ele era morador do Parque Figueira.

Segundo caso da Febre Maculosa
O primeiro óbito foi registrado no dia 25 de março e a vítima era um morador do Jardim Santa Rosa, que trabalhava no Parque Valinhos, segundo informações da Prefeitura.

O período de estiagem é o mais propício para a proliferação da febre maculosa, pois o número de carrapatos aumenta. A doença é transmitida pelo carrapato-estrela e as capivaras são as principais hospedeiras do parasita.

Prevenção contra a Febre Maculosa
A Prefeitura ainda aponta que a prevenção contra a febre maculosa é trabalhada durante o ano todo no município, junto a profissionais da saúde em escolas, empresas e com a população através de ações educativas, palestras e folhetos explicativos.

Além disso, a cidade ainda conta com uma ação conjunta da Secretaria de Saúde em parceria com as secretarias de obras e limpeza pública e do meio ambiente, com o auxílio do corte de mato nas áreas endêmicas e permitidas pelo meio ambiente.

Conheça sobre a praga: aqui

Deixe um comentário

A UNIPRAG está presente em todo Brasil

Conversar
Precisa de ajuda?