São Paulo: 11 3876-8500

PRAGAS DE GRÃOS

Gostou? compartilhe!

imagem

As pragas dos grãos causam prejuízos imensos na economia agrícola

A produção de grãos brasileira ocupa cerca de 50 milhões de hectares e possui produção média anual de 200 milhões de toneladas, segundo a Embrapa. O arroz, a soja e o milho são as principais produções. Por isso, os administradores agrícolas, as industrias e oc comerciantes devem ter especial atenção com uma praga que pode acabar com seus lucros: as pragas dos grãos.

Elas podem acabar com a safra do ano se não forem controladas adequadamente.

O grande problema se encontra na forma em que os grãos são armazenados após a colheita. Os grãos podem ser armazenados por um período grande, sem perda da qualidade do material.

Porém, esse tipo de armazenamento só pode ser realizado se forem praticadas ações corretas desde a colheita, passando pela higienização do local de armazenamento, secagem dos grãos e controle eficiente de pragas.

 

Para um armazenamento bem sucedido, que evita as pragas dos grãos, é necessário controlar e se prevenir dos fenômenos biológicos, físicos e químicos que podem causar transformações, danos e perdas dos grãos.

Alguns aspectos que são importantes são: umidade, temperatura, presença de microrganismos, insetos e animais, entre outros. Os grãos devem ser mantidos sadios e limpos para serem comercializados com segurança.

As pragas de grãos podem ser classificadas como pragas primárias e secundárias, associadas ou de infestação cruzada de acordo com suas características biológicas e ecossistema.

As primárias danificam grãos sadios, as secundários atacam grãos já quebrados e com defeito. As associadas não danificam diretamente o grão. Por último, as de infestação cruzada podem atacar os grãos na lavoura e no armazenamento.

Como os ratos, as pragas dos grãos danificam mais grãos do que podem consumir, o que causa 10% de perda na produção mundial de grãos, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a FAO.

Biologia das pragas de grãos


AS ESPÉCIES DE PRAGAS DE GRÃOS
MAIS COMUNS NO BRASIL SÃO:


imagem

Gorgulho ou Caruncho (Sitophilus zeamais)

A praga ataca os grãos tanto na fase de larva quanta adulta. Ela danifica o grão, reduzindo seu peso e sua qualidade. Possuem preferência por lavouras de arroz, aveia, cevada, milho, soja e trigo. É conhecida também como gorgulho-do-milho.

É considerada uma praga primária e de infestação cruzada. Depositam seus ovos dentro do grão afetado, com isso as larvas podem se nutrir e se desenvolver. Apresentam multiplicação acelerada.

Tamanho: De 2.5 a 3.5 mm

Cor: castanha escura com 4 manchas de cor vermelha

Reino: Animalia

Ordem: Coleoptera

Classe: Insecta

Espécie: Sitophilus zeamais

Família: Curculionidae

Filo: Arthropoda

DIETA: A praga se nutre dos grãos que ataca. O dano ocorre na cavidade peduncular e entre os pontos de contato dos grãos. Perfuram a casca e promovem depressões, criando galerias.

HABITAT: O caruncho é encontrado tanto na lavoura quanto nos depósitos de grãos armazenados (infestação cruzada).

IMPACTO: Um inseto pode colocar até 282 ovos. Cada larva do ovo eclodido nutre-se do grão em que se encontra até se tornar adulto, sendo o total de desenvolvimento de 34 dias. Nesse período ocorre uma grande destruição dos grãos em escala. Grande parte se contamina sem ao menos ser consumido pela praga.

PREVENÇÃO: O controle de pragas de grãos deve ser realizado por medidas de limpeza e desinfecção prévia dos locais a serem armazenados, complementados por meio da fumigação ou expurgo dos grãos armazenados e, na lavoura, através de inseticidas específicos.

imagem

Traça dos cereais (Sitotroga cerealella)

Como o gorgulho, a traça dos cereais também ataca os grãos tanto na fase de larva quanta adulta, reduzindo seu peso e sua qualidade. As larvas entram no grão e nutrem-se no interior dele. No princípio da infestação não se nota o dano.

É considerada uma praga primária. Ataca os grãos ainda na lavoura. Nos galpões de armazenamento, limita sua ação a superfície do grão. O inseto adulto vive apenas 5 dias e pode atacar trigo, arroz, milho, cevada e outros cereais.

Tamanho: De 6 a 8 mm

Cor: castanha escura

Reino: Animalia

Ordem: Lepidoptera

Classe: Insecta

Espécie: Sitophilus zeamais

Família: Gelechiidae

Filo: Arthropoda

DIETA: A traça dos cereais é considerada um consumidor interno. Isso porque suas larvas se alimentam no interior do grão inteiro. Na fase adulta, seu estrago se limita à superfície do grão, já que não consegue penetrar dele (até 40 cm).

HABITAT: A traça dos cereais é encontrada tanto na lavoura quanto nos depósitos de grãos armazenados.

IMPACTO: É uma praga muito destrutiva. Causa diminuição do peso e da qualidade física do grão.

PREVENÇÃO: O controle de pragas de grãos deve ser realizado por medidas de limpeza e desinfecção prévia dos locais a serem armazenados, complementados por meio da fumigação ou expurgo dos grãos armazenados e, na lavoura, através de inseticidas específicos. 

Clique na imagem para ampliar.
imagem

Ciclo de vida das pragas de grãos

As pragas de grãos possuem 4 fases: ovo, larva, pupa e adulta. O desenvolvimento completo leva em média 30 dias. Os insetos vivem em torno de 140 dias. Após 12 dias da chegada da fase adulta, a praga de grãos deposita seus ovos que podem chegar a 280 unidades.

Os grãos com grande umidade são os escolhidos e os ovos são colocados em furos cavados pelas fêmeas. Apenas 1 ovo é colocado no buraco, que é fechado com uma substância gelatinosa. Se mais um ovo for adicionado, ocorre canibalismo.

O tempo de incubação da larva pode levar até 6 dias. Quando a pupa sai do grão, deixa uma abertura característica.

Como evitar as pragas de grãos

– Expurgar todos os produtos que entram no depósito de armazenamento;

– Criar rotina para higienizar equipamentos beneficiadores e transportadores;

– Expurgar embalagens de armazenamento usadas e vazias;

– Separar produtos de colheitas diferentes;

– Limpar áreas próximas ao depósito;

– Inspecionar periodicamente os grãos armazenados;

– Realizar o controle preventivo de pragas;

– Retirar ninhos de roedores e aves;

– Realizar controle químico preventivo;

– Utilizar embalagens para proteger os grãos.

 

imagem

Whatsapp Termitek - Uniprag Whatsapp Termitek - Uniprag Whatsapp Termitek - Uniprag Whatsapp Termitek - Uniprag Whatsapp Termitek - Uniprag Whatsapp Termitek - Uniprag Whatsapp Termitek - Uniprag Whatsapp Termitek - Uniprag